Por dentro de quase nada, mas querendo mostrar o que há dentro de mim. Meu nome é Fabiana e às vezes escrevo coisas.

10 abril 2007

Sobre 300...


Acho incrível como Deus tem a capacidade de falar aos nossos corações nas situações mais inusitadas. No sábado passado fui ao cinema com a Jeskita assistir "300". E olhem só: Deus falou comigo através daquele filme, em vários pontos. Principalmente com relação a, vez ou outra, nos sentirmos fracos na nossa caminhada com o Pai. O filme fala muito da cultura espartana. O que vi foi um grande exemplo para nós, cristãos. Exemplo de determinação, garra e persistência. Vejam só:

Os espartanos, assim que nascem, são examinados; se não forem fisicamente perfeitos, são jogados do alto de um monte, pois não servem para ser espartanos. Deus também escolhe os fortes. Ele não escolhe ninguém para viver uma vida cristã miserável. Ele não escolhe ninguém para viver “se arrastando”, murmurando. Se ele te escolheu, meu irmão, é porque você tem forças pra enfrentar a batalha. É escolha sua enfrentar ou fugir. Força você tem – a Rocha, Jesus Cristo. “Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados [...]”. Efésios 4:1

Os espartanos, desde cedo, em casa mesmo, são treinados pra guerra. Seus pais os ensinam o que é garra, honra e os fazem orgulhosos de serem o que são. Quando escolhemos andar com Deus, desde cedo Ele já nos coloca em posição de batalha. E parece que, ao longo do tempo, as batalhas só vão se intensificando, dificultando. Ele sabe exatamente quando estamos prontos para subir mais um degrau em nossa caminhada. Às vezes fazemos “manha”, dizendo que não estamos prontos, ou que a batalha está muito difícil. Mas é Ele quem sabe, é Ele quem sonda os nossos corações e sabe o potencial que há em nós. A vida do cristão é toda um treinamento, pois precisamos ser usados para abençoar este mundo. “Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo [...]”. Efésios 4:13.

Aos 7 anos de idade, era o Estado que tomava conta dos meninos espartanos, treinando-os duramente para a guerra. Pense nos pais de Esparta; garanto que, se fossem atender ao que pedia seu coração, jamais enviariam seus filhos para serem açoitados, feridos, abandonados e tudo mais o que o governo fazia com eles para que fossem treinados. O desejo de um pai é sempre ver seu filho bem. Só que o “bem” nem sempre significa “aconchegado”. Deus não quer nos ver sofrendo, mas, assim como os pais espartanos, sabe que se não formos “moldados”, mesmo em meio a sofrimento, não agüentaremos os ataques do inimigo (no caso, o inimigo de nossas almas – Satanás). Ele deixa que sejamos treinados até a exaustão para o nosso bem.

Aos 12 anos de idade, os meninos espartanos eram abandonados em penhascos, florestas, para que lutassem por sua sobrevivência. Por muitas vezes na nossa caminhada com Deus, vamos pensar que estamos sós. Abandonados. Deus nos permite ter esses “desertos” em nossa vida, mas mais uma vez não passa de um treinamento.

Já no exército, suas armas de luta são um elmo, a capa, a espada e o escudo. O que mais me chama a atenção é o escudo – ele serve para defender o companheiro que está à esquerda, protegendo-o na altura do pescoço à coxa. Isso mantinha a unidade do exército espartano. Só que nós, cristãos, na maioria das vezes, somos egoístas. Pensamos que podemos batalhar sozinhos e, por isso, somos levados a pensar que não temos o dever de proteger nossos irmãos. Mas TEMOS. “Purificando as vossas almas pelo Espírito na obediência à verdade, para o amor fraternal, não fingido; amai-vos ardentemente uns aos outros com um coração puro [...]”. 1 Pedro 1:22.

Quando sentiam que o momento da luta estava chegando, os espartanos não se acovardavam – sabiam que quanto maior fosse a luta, maior seria a glória. A maneira certa de agir é nos alegrarmos na tribulação. Nem sempre agimos assim, mas este deve ser o nosso pensamento. Devemos encarar nossas batalhas com garra, sabendo que o Senhor nos dará forças e, portanto, toda glória será Sua. “Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente; não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.” 2 Coríntios 4:16-18

Ufa... Pois sim. “300” falou comigo nesse sentido. E saí de lá fortalecida, sabendo que o Senhor me ama tanto, que falou exatamente o que meu coração precisava, de uma forma bem diferente. Glória a esse Deus maravilhoso!

5 comentários:

Lívia disse...

Que aula hein Fabi?!
Que Deus continue te abençoando e dê a você mais e mais sabedoria.
Bjo.

Patricio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Patricio disse...

Gostei! Da sensibilidade do ouvir, e da sabedoria no escrever, no testemunhar.
Isso é resultado, basicamente, da intimidade em andar com Ele, e nEle!
Deus continue te abençoando.

Beijos prá Bruna! (Já saiu do casulo da intimidação paternal???)

Jamile disse...

Ai Fabi...agora me arrependi de não ter ido!!! Tu não quer ir ver de novo, não?

HELLY disse...

tb gostei muito do filme .
gostei do blog enteiro ^^
que Deus steja sempre com vc , te abençonado muito e iluminando os seus caminhos .
a paz do Senhor!!