Por dentro de quase nada, mas querendo mostrar o que há dentro de mim. Meu nome é Fabiana e às vezes escrevo coisas.

16 maio 2010

Pedras gritantes


Tenho uma grande amiga que atualmente está morando em uma pequena cidade ao sul da Espanha. Apesar da distância, nos falamos quase toda semana e, dia desses, ela me contou uma história interessante.

Ela tem uma colega de trabalho cuja vida é bastante complicada - depressão, drogas etc. Logicamente, como toda boa cristã, tenta levar sua amiga pra igreja, falar de Jesus pra ela. Essa tarefa nem sempre é fácil; sei bem como muitas vezes, falando de Jesus pra alguém, a pessoa me olha como se fosse alienada, ou como se vivesse num conto de fadas e ainda acreditasse na carruagem da Cinderela. É, Jesus é meio absurdo pra esse mundo de hoje.

Depois de algumas tentativas aparentemente frustradas, num belo dia, esta amiga chegou lhe contando um episódio curioso que tinha lhe acontecido. Estava numa praça, quando uma cigana se aproximou. Pensou que esta se ofereceria para ler sua sorte. No entanto, aquela cigana pediu sua atenção e começou a falar-lhe de Jesus.

Pausa.

Ciganos falando de JESUS??? Como assim? Voltemos um pouquinho na história. Ciganos são um povo nômade e, exatamente por isso, não possuem registro histórico escrito acerca de sua origem. O preconceito que sofrem chega a ser justificado com o uso da Bíblia, dizendo que são descendentes de Caim, portanto malditos. Existem inclusive lendas que dizem que eles fabricaram os pregos usados para crucificar Cristo, ou que roubaram o quarto prego, causando maior sofrimento na crucificação do Salvador.

Aqueles que vagam pelo sul da Espanha, como na cidade da minha amiga, são os mais pobres, chamados gitanos, e qualificados como raça ruim, ladrões, trapaceiros. Ora, de um povo de quem não se espera nada bom, a Palavra de Deus está sendo anunciada. Fiquei me perguntando como Deus deve ter tocado o coração daquela cigana. Nem imagino. O que sei é que não podemos encaixotar Deus e pensar que Ele só vai até onde o nosso próprio pensamento vai. Ele é MAIOR e vai muito ALÉM. Recordei-me do versículo de Lucas 10:40, onde Jesus falava que se seus seguidores calassem a boca, as pedras gritariam.

E o que temos aqui nesse episódio? PEDRAS GRITANTES! Vejo Deus, com Seu poder ilimitado, usando meios que nunca imaginaríamos para anunciar a grande e boa nova que é Jesus, Seu Filho, Salvador, estendendo os braços para todo aquele que necessitar e abrir seu coração. Muitas vezes nós, que nos julgamos cheios do amor de Deus, nos calamos, nos acomodamos. Nem por isso o que é preciso ser dito deixa de ser anunciado. Deus usa o cigano, o índio, o analfabeto, a jumentinha (ver livro de Números, capítulo 22) e até as pedras para anunciar que Jesus Cristo é Salvador.

Meu coração se alegra em saber que povos aparentemente não alcançados pela Bíblia, na verdade, estão sendo usados por Deus. Só não quero sentir o peso na consciência de pensar que Ele vai usar as pedras caso eu me cale. Quero me calar é nunca! Deus colocou tanta coisa boa no meu coração, que o mínimo que posso fazer é transbordar isso por onde quer que eu passe. Inclusive por aqui.

5 comentários:

Juliana Sá disse...

Meu orgulho sempre! Fico muito feliz pq vejo muito Deus através da tua vida, Fabit. Meu exemplo! Te amo muito,amiga!

Isaias disse...

Q MASSAH... DEUS É SURPREENDIMENTE GDE EM NOS FAZER VE.LO OND MENOS IMAGINAMOS... É ISSO. AI EU NAO QRO SER SUBSTITUIDO POR PEDRAR EU QRO CLAMAR E OUVIR A VOZ DE DEUS. HJ E SEMPRE. ;)
VALEUUUU... ISAIAS.

Isaias disse...

Q MASSAH... DEUS É SURPREENDENTEMENTE*** GDE EM NOS FAZER VE.LO OND MENOS IMAGINAMOS... É ISSO. AI EU NAO QRO SER SUBSTITUIDO POR PEDRAR EU QRO CLAMAR E OUVIR A VOZ DE DEUS. HJ E SEMPRE. ;)
VALEUUUU...

Facundo disse...

oi Fabi...

bastante pertinente o seu texto, ainda mais para o nosso "curral" cristão, evangélico ou católico, que acham que tem o monopólio da ação de Deus no mundo. Grande engano.

Se tem uma coisa que definitivamente Deus não é é "previsível"!

Parabéns pela reflexão!

Denise disse...

Oi Fabi!

Estou conhecendo seu espaço. Gosto como escreve: é leve e as palavras deslizam pela nossa vista sem cansar.
Parabéns, que Deus multiplique seu talento!

Denise